Quando as coisas não saem como o esperado – Escola do Ser

Quando as coisas não saem como o esperado

Acredito que os que você vai ler agora também tenha dentro de você, e por isso resolvi compartilhar um insight que tive em uma de nossas aulas na Escola do Ser junto aos alunos do curso Chaves para a Consciência.

Desde a nossa infância fomos memorizando formas de Ser e agir no mundo, e quase toda  a nossa infância há momentos em que fazemos “birra” quando as coisas não saem como o esperado por nós.

E o tempo vai passando, e até não olharmos para a nossa criança interior, esse fenômeno vai se repetindo na vida adulta.

Mas como?

Quando as coisas não saem como o esperado!

Quando isso ocorre, automaticamente ativamos memórias que estão no nosso subconsciente de insatisfação, cobrança, reclamação, brabeza, ressentimento e cinismo.

E aí eu te pergunto, quando as coisas não saem como você planeja, por que você tem de ficar chateado? Por que ficar mal por isso?

Muito pouco da vida se controla, e uma hora ou outra vai haver eventos diferentes do que imaginamos. Assim acontece comigo, e creio que contigo também.

Sabemos que existem dois caminhos e atitudes a tomar:

1° Reclamar, xingar, esbravejar, ressentir, ficar triste, imaginar o contrário daquela situação e fugir do Agora ( o estado de presença) e por aí vai.

2° Aceitar as coisas tal qual como são.

Isso mesmo, bem simples, aceitar tudo como é e agir após o ocorrido com calma e compreensão de aquilo que foi como foi.

Acredito que a segunda forma é muito melhor para o nosso Ser, mas quando isso ocorre e ativamos as nossas feridas e memórias de “birra” é difícil retomar e perceber a emoção que se descontrola.

O caminho para isso é estar profundamente enraizado no estado de presença, ou seja, cravado no seu Ser para não deixar que a emoção te controle.

E agora te convido a olhar para isso, olhe para os momentos que não acontecem como você quer, lembre-se de um recente, e projete-se para esse momento e diga a você mesmo que está tudo bem, diga com amorosidade a você vendo o quão maior você é que isso como Vida.

O que de tão importante fazemos das coisas em nossa vida?

Por que levar a vida tão a sério?

Onde queremos chegar?

Eu hoje olho para mim quando isso acontece e só de ter consciência disso, a emoção perde muita força, consigo ver por detrás da minha cobrança e necessidade de ser tudo como quero, atrás disso existe um lindo lugar de luz, amor e acolhimento interior em que o meu bem estar é muito maior do que a insatisfação.

A vida vai sempre nos apresentar disso, pois ela é um fluxo espontâneo além do que podemos imaginar, cabe a nós decidirmos em qual das duas situações queremos estar, a 1° ou a 2°.

Eu escolho a 2° – aceitação, e você? Comente aqui e vamos mudar estados memorizados no nosso Ser?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *